Aguarde...

Benvindos Benvindos

História

Vale de Cavalos é uma freguesia do concelho de Chamusca, de cuja sede dista cerca de 10 quilómetros, no distrito de Santarém. Situando-se mesmo onde acaba a charneca e começa a campina, a Aldeia de Vale de Cavalos está edificada numa pequena elevação sobranceira às ricas terras da Borda-d’água.

Cedo os homens se fixaram, por terem ali fartura de pão e segurança face às cheias. Diversos achados arqueológicos, comprovam que no mesmo local onde hoje está a aldeia existiu também uma povoação Lusitano-Romana há uns dois mil anos atrás. Chamava-se Trava e é, até ao momento, o mais antigo aglomerado populacional conhecido em toda a vasta área do actual concelho da Chamusca. Nas imediações da povoação, as terras do Paul de Trava, das mais férteis da Península Ibérica, foram intensamente exploradas, com excelentes resultados, ao longo dos séculos.

De entre as inúmeras culturas produzidas nas terras do campo, tem qualidade e tradição reconhecidas a vinha que, por ficar em terras da Rainha e produzir um vinho muito apreciado na Corte, escapou ao arranque decretado pelo Marquês de Pombal para as cepas do Ribatejo. Nos últimos anos, com as novas características da agricultura e as novas exigências do mercado, diversificaram-se as produções e modernizaram-se os processos, permanecendo as terras de Vale de Cavalos na vanguarda em termos de produtividade e de introdução de novos produtos e de novas tecnologias.

Da charneca sempre vieram os produtos da floresta. Em tempos, tiveram grande importância a cortiça e o carvão que se embarcavam nos portos da vizinhança e seguiam Tejo abaixo até Lisboa. Hoje em dia, a maior riqueza é a madeira que se procura explorar de forma equilibrada e racional.

Terra de assalariados rurais, Vale de Cavalos tem uma antiga e rica tradição de luta contra a exploração e por melhores condições de vida, quer nos tempos da 1.ª República quer durante os longos anos do Estado Novo.

Situada mais perto de Alpiarça do que da Chamusca e tendo muitas relações e muitas características em comum com a vila vizinha, foi uma terra disputada entre os dois concelhos, nos anos vinte. Ao pequeno município de Alpiarça, criado a seguir à implantação da República, por influência de José Relvas, convinha a anexação da extensa e rica Freguesia de Vale de Cavalos. Conseguiu-o durante sete anos, de 1919 a 1926, mas a vontade manifestada pela população de pertencer ao concelho da Chamusca acabou por prevalecer, e a Freguesia viria a ser reintegrada a 2 de Setembro de 1926. Sendo nesta data publicado no Diário da República o Decreto-lei nº 12.257 de 2/9/1926 da Direcção Geral da Administração Pública (Ministério do Interior), designando que se voltasse a integrar Vale de Cavalos no concelho da Chamusca. Este regresso foi motivo de grande regozijo, e de tal modo se considerou importante este evento, que a data da reintegração a 2 de Setembro, passou a ser durante alguns anos feriado municipal.

A Freguesia, que até há poucos anos era a mais extensa do concelho, adquiriu a configuração actual em 1985, quando foi criada e destacada dela a Freguesia da Parreira. Mesmo assim, continua a ser uma das maiores do concelho, com os seus 11.900 hectares.

É esta a terra onde vivem e trabalham cerca de 1.300 Valcavalenses, entre a charneca e campina, com o Tejo nos olhos e o Ribatejo no coração, aprendendo no passado a construir no presente, visando avistar um melhor futuro...

Este site utiliza cookies. Ao utlizar o website, confirma que aceita a nossa politica de privacidade.